fbpx

O Medo é Apenas um Mensageiro


Sim, é verdade. O medo é apenas um mensageiro.

Em si mesmo tem pouco valor além de o obrigar a olhar na direção certa para detetar e compreender aspetos de si que necessitam da sua atenção e, mais que isso, da sua ação.
Até aqui, tudo bem, certo?
Os problemas começam quando escolhe não lhe dar a atenção que requer, encarando-o como algo definitivo, característico da sua personalidade (eu sou mesmo assim! Tenho medo de …).

Na verdade, tem o direito de o fazer, claro. A vida é sua!  Mas isto é válido apenas se nem por um segundo se sentir desgastado, frustrado e desapontado consigo mesmo por perder oportunidades de viver a sua vida em pleno. Neste caso é importantíssimo agir!

O medo não é característica intrínseca sua nem de ninguém. Nem tão pouco é um fardo que terá que carregar toda a sua vida.

O propósito do medo é atuar como um sinal de alerta para o levar a reconhecer o trabalho interior que deverá desenvolver para evoluir na direção da melhor versão de si mesmo.
Podemos comparar o medo à luz vermelha de um semáforo.
O que acontece se decidir ignorar o sinal vermelho para os peões e atravessar uma estrada movimentada, olhando na direção contrária? É quase certo que terá um grave acidente e será atropelado! Nunca colocaria conscientemente a sua vida (entenda-se, a sua integridade física) em risco de forma tão descuidada, pois não? Então porquê fazer isso com a forma como experiencia a sua vida? Porquê desperdiçar tempo e energia desta forma? Ignorar o seu medo exige-lhe um grande dispêndio de energia. Vai tornar-se cada vez mais evidente e limitador, provocando grande desgaste psicológico e emocional.

Porque não aplicar esta energia a ouvir o seu medo?

Afinal de contas, ele é apenas um mensageiro. Fale com ele. Estará a ser sensato (e não louco!…). Estará a escolher crescer, evoluir. O que estará ele a tentar transmitir-lhe? Se estiver disposto a ouvir captará a resposta! Talvez precise de trabalhar a sua auto-estima, a sua capacidade de confiar (nos outros e na vida) ou de abdicar do controlo e deixar a vida fluir. Só saberá se estiver disposto a ouvir. Uma coisa é certa: esta mensagem mudará a sua vida se além de estar disposto a ouvi-la e integrá-la, estiver disposto a empreender a ação que requer para assegurar mudanças reais e duradoras na sua vida.

Consciência e Ação: este é o duo dinâmico!

Sim, concordo que se trata de um desafio inquietante. Mas garanto-lhe também que a sua vida não voltará ser a mesma! Estarei a seu lado para apoiá-lo nesta jornada.

Então? O que me diz? Vamos trabalhar!

Partilhar