fbpx

Quer mudar a sua vida? Mude a sua self-talk negativa em 4 passos simples!


Levei anos até perceber que a minha self-talk era altamente punitiva e brutalmente auto-exigente! Extremamente crítica. Impiedosa.

Tratava-me com um rigor que não empregava com mais ninguém. Exigia-me perfeição, certezas e infalibilidade. E se não agia assim com mais ninguém porque o fazia comigo? Mais importante: tendo essa noção porque continuava a fazê-lo?

Dito assim parece óbvio e muito straight forward, não é? É só aparência… Desprogramar a sua self-talk negativa é das coisas mais importantes que alguma vez fará por si e também das mais exigentes!

A ladaínha que repetimos constantemente na nossa cabeça pode ser altamente potenciadora ou extremamente limitante.

A que categoria pertence a sua? Tem uma noção consciente da sua self-talk? Ou esta opera em background sem que disso chegue a aperceber-se?

Uma self-talk negativa amplifica as situações que o assustam, fazendo com que tudo pareça muito mais grave e pesado do que é realmente.

Era exatamente isto que acontecia comigo! E à medida que ía desfiando o rosário tudo parecia muito mais denso e complicado. A energia desaparecia e ía ficando mais desanimada, mais descrente e cada vez mais cansada.

Alterar a sua self-talk irá alterar profundamente a sua perceção da realidade, do mundo à sua volta. 

Uma vez li uma definição de milagre que achei belíssima e assenta como uma luva no que acabei de dizer:

“Milagres são alterações súbitas de perceção”    Helen Schucman.

Pura glória, uma definição de “milagre” fora do âmbito religioso que eu compreendi com a facilidade de quem finalmente assume a responsabilidade por produzir os seus próprios “milagres”, com os recursos que tem ao seu dispor. Porque todos temos a capacidade de produzir alterações súbitas de perceção que revolucionam a nossa vida.

A chave para mudarmos a nossa realidade reside em mudarmos a nossa perceção!

E nisso, a sua self-talk desempenha um papel fundamental!

Vou falar-lhe de 4 passos simples que me ajudaram muito a mudar a minha self-talk negativa:

 1) Monitorize: Ouça-a atentamente para que possa reconhecê-la. Esteja também atento aos triggers  que a ativam. O objetivo é criar consciência!

2) Crie uma self-talk empoderadora: Escreva (escreva mesmo, com papel e caneta!) uma self-talk encorajadora e energizante. Imagine que está a falar com o seu melhor amigo: de certeza que conseguirá criar um discurso empático e motivante!

3) Entre em ação quando detetar que a sua self-talk negativa está em curso: Corte-a imediatamente e substitua-a pela self-talk empoderadora que criou antes. A princípio parecerá estranho fazê-lo. Não se preocupe! Se possível, faça-o em frente ao espelho, olhando-se nos olhos!

4) Insista: Faça a substituição de forma consciente e repetida até que, aos poucos, o seu cérebro assimile sua self-talk empoderadora como baseline. Consistência é a palavra-chave!

As orientações são simples. A sua aplicação… Exige persistência! Mas a consistência dará frutos duradouros e chegará a um ponto em que aplicará a sequência de passos de forma automática, sempre que for necessário.

O ponto de viragem será, sem dúvida, quando se aperceber que começa a ver tudo de uma forma diferente, a ver oportunidades onde antes veria apenas ameaças e a dar passos em frente quando antes se deteria, paralisado por perspetivas intimidantes de concretização improvável. Nesse momento vai aperceber-se que a sua perceção está a mudar!

Comigo foi exatamente isso que aconteceu… E o mundo mudou! Ou melhor, mudei eu e depois o mundo mudou!

Comecei a ser capaz de detetar oportunidades que antes passariam fora do meu radar, de mobilizar todos os meus recursos para atingir objetivos que antes me pareceriam impossíveis e de viver com a leveza de quem expulsou da sua mente aquela voz massacrante, negativa e desgastante que tanta energia lhe roubava.

Mudei a minha perceção! Isso mesmo… Fiz um milagre! 😉
E você? Acredita em milagres? Espero que sim!

P.S.: Cada vez mais apaixonada por neurocoaching!

Partilhar