fbpx

É Urgente Transmutar o Stress!


** Artigo publicado na Revista Progredir deste mês –  https://issuu.com/progredir/docs/revista_progredir_089/30 **

 

O dia não estava a correr nada bem… Atrasou-se para a reunião da manhã com aquele cliente importantíssimo para a empresa, no regresso ao escritório demorou 2 horas em vez de 30 minutos (maldito trânsito!). Os mails por ler acumularam-se e o telemóvel não parou de tocar: havia um “fogo para apagar” que exigia a sua intervenção. Chegou ao escritório exausto e cheio de trabalho em atraso… Que stress!!

 

Nem sempre podemos escapar a situações de stress. Devemos, sim, reformular o nosso conceito de stress e a forma como o vivenciamos!

A resposta de stress é um mecanismo natural e essencial para a nossa sobrevivência. É tempo de pararmos de demonizá-la para podermos retirar dela o melhor proveito!

 

STRESS… UM MITO?

 

Em certa medida, sim. O responsável é o condicionamento generalizado de que o stress é algo “mau” que programa o nosso cérebro para integrar a realidade dessa forma, proporcionando-nos repetidamente experiências que a confirmam – programa o seu zoom (o seu sistema reticular) para lhe mostrar “mais do mesmo”.

A resposta de stress é um mecanismo aperfeiçoado ao longo de milhões de anos com o objetivo de nos permitir reagir rápida e adequadamente a situações que ameacem a nossa sobrevivência e/ou a nossa integridade física. O seu objetivo consiste em manter-nos vivos e intactos fisicamente.

Atualmente as ameaças são outras mas os mecanismos para lhes fazer face são os mesmos.

A libertação de cortisol (uma hormona de stress) provoca a aceleração do ritmo cardíaco, o aumento da tensão arterial e dos níveis de glicose e gorduras no sangue. Também suprime o sistema imunitário e os sistemas digestivo e reprodutor “entram em greve” (já que não são essenciais para a sobrevivência): a sua saúde está mais frágil, as digestões são difíceis e o romantismo desaparece!

O objetivo? Disponibilizar energia extra necessária a uma reação muscular enérgica, decisiva para aumentar as hipóteses de sobrevivência.

Tem dificuldade em concentrar-se no trabalho e está em estado de alerta máximo! O perigo espreita de todos os lados!

Raciocinar com clareza é uma missão desafiante: os seus recursos cognitivos são bloqueados. Não é para pensar! É para fugir ou lutar!

 

E se… Fosse possível mudar a forma como vive o stress, já que não tem mesmo como lhe escapar, simplesmente? E se fosse possível transmutar o stress?

 

TRANSMUTANDO O STRESS

 

Tudo passa por encarar o stress como uma resposta natural que pretende apenas mantê-lo vivo. Não é nocivo, desde que não se prolongue no tempo: deve ser uma resposta temporária e não permanente!

 

É importante saber utilizar TÉCNICAS DE RELAXAMENTO que o ajudam a abreviar um estado de stress que já se instalou ou a mitigá-lo se o detetar enquanto está a formar-se.

 

#1. Respiração Consciente

Inspire durante 4 segundos e sustenha a respiração durante 4 segundos.

Expire durante 4 segundos e sustenha a respiração durante 4 segundos.

Foque-se na sensação de respirar de forma consciente. Repita o tempo que for necessário até se sentir mais relaxado e a paz esteja, de novo, instalada.

 

#2. Redirecione a sua atenção
Foque-se no momento presente. A respiração lenta e profunda da primeira dica ajuda-lo-à nisso também. Esteja aqui e agora, em vez de navegar num mar de preocupações que aumentam com a atenção que lhes é dedicada.

 

#2. Visualização

Imagine que está num ambiente relaxante e detalhe a sua visualização o mais possível.

Se estiver numa praia, procure sentir se está calor, se há huvens no céu, se o mar está calmo ou revolto, etc.

Objetivo: focar o cérebro na definição desses detalhes e afastar a sua mente dos motivos que despoletaram o stress.

 

#3. Conexão

Somos seres sociais: os nossos cérebros foram concebidos para a conexão! A convivência com amigos e família faz disparar os níveis de oxitocina (hormona do afeto) e baixa os níveis de cortisol, interrompendo a resposta de stress.

 

 #4. Exercício

As endorfinas libertadas no cérebro durante o exercício farão com que se sinta mais feliz, ajudando a reverter os efeitos do stress: liberta a tensão muscular, aumenta os níveis de oxigénio e consome o excesso de adrenalina e de cortisol.

 

MUDANDO O MINDSET EM RELAÇÃO AO STRESS

 

Muito importante: Mude o seu mindset em relação ao stress! Como? Veja algumas dicas abaixo!

#1. Questione os seus pensamentos

De que outra forma poderia ver esta situação?

Que perspetiva diferente poderia mudar a forma como se está a sentir?

 

#2. Aceite o potencial resultado positivo

Que aspetos positivos poderão resultar de toda esta situação? De que forma poderá contribuir para o seu crescimento profissional e pessoal?

 

#3. Desassocie-se dos seus pensamentos:
os seus pensamentos são apenas atividade cerebral. Não se identifique. Você não é os seus pensamentos. Assuma o papel de observador das suas emoções e pensamentos. Tomará, assim, as rédeas das suas respostas emocionais aos estímulos externos.

 

 O LADO BOM DO STRESS?

 

Existe, claro! Não se esqueça que é um mecanismo que lhe dá um disparo tremendo de energia, capacidade de reação muscular e força física: um sentimento de poderio difícil de igualar!

Se, recorrendo às orientações anteriores, conseguir mudar a forma como vive o stress vai constatar que estes picos de stress podem corresponder a momentos de muita produtividade, muita capacidade de fazer acontecer e muita energia desbloqueadora.

O segredo está em conseguir manter os níveis de stress em patamares construtivos!

Aplique as sugestões anteriores e terá condições para fazer do stress um verdadeiro aliado!

 


*** WORKSHOP NEUROCOACHING: YOUR BRAIN IS RUNNING YOUR SHOW ***
*** LISBOA, 29 DE JUNHO. + INFO AQUI. ***

 

 

 

 

 

Partilhar